Gestores participam de curso sobre Liderança em Gestão para Resultados na EGPCE

13 de março de 2019 - 09:38 # # # # #

A Escola de Gestão Pública do Estado do Ceará recebeu na última terça-feira (12/3) a primeira turma do curso Liderança em Gestão para Resultados, promovido pela Secretaria do Planejamento e Gestão (Seplag), por meio da Coordenadoria de Planejamento, Orçamento e Gestão.

A abertura do curso contou com a presença do coordenador da CPLOG, Avilton Júnior, que apresentou o objetivo da formação aos servidores que atuam como gestores e/ou assessores dos Acordos de Resultados, das áreas de planejamento ou finalísticas das Secretarias e Vinculadas.

Direcionada às lideranças, a formação pretende nivelar os conhecimentos teóricos e práticos do modelo de Gestão para Resultados do Ceará por meio da apresentação da metodologia, além de apresentar as funções e atribuições dos gestores e assessores em atividades relacionadas aos Acordos de Resultados.

Para isso, o conteúdo abordará temas como a Gestão para Resultados (Marcos Legais, Histórico, Conceitos), Modelo de Gestão para Resultados do Estado, Etapas para Elaboração dos Acordos de Resultados e Atribuições das Lideranças.

As próximas turmas serão realizadas nos dias 14, 20, 22 e 27 de março, na EGPCE.

Gestão para Resultados

A Gestão Pública para Resultados, adotada pelo Governo do Estado do Ceará e coordenada pela Seplag, consiste em um modelo de gestão consubstanciado no conjunto de processos e ações funcionais e temáticas, integradas de forma multisetorial e estratégica. Desde 2016, a Escola de Gestão Pública contribui na implementação desse modelo através do curso Introdução à Gestão para Resultados, realizado na modalidade de Educação a Distância (EaD).

Tal modelo de gestão, regulamentado pelo Decreto Nº 32.216, de 08 de maio de 2017 obedece a princípios norteadores que guiam o comportamento pessoal e organizacional dos integrantes do Governo do Estado em todas as suas instâncias.

Princípios norteadores

Foco em públicos-alvo claros e inequívocos;
Orientação para resultados, numa perspectiva de longo prazo;
Flexibilidade e agilidade administrativa;
Valorização e comprometimento profissional com resultados;
Governança pública integrada, convergente e colaborativa;
Participação e controle social no governo; e
Sustentabilidade fiscal e financeira.

Saiba mais aqui